ff




Jaime e Cíntia & Cia - jaimecintia@tapera.net
quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013
ANJO

Foto: " [...] uma ternura perfeita, ainda nem existente; o bem-querer sem descrença."

" Mas a roda da vida empuxava. Carecia de estreitar os desejos, continuar seus caminhos. O destino calça esporas."

" Passarim, todo o tempo, todo o tempo; se ri nas bochechas do vento; e minha alma está bem guardada; vento de todas as asas..."

" Saudade é um sonho insone./ Saudade é o coração dando sombra./ Saudade - ninho de ausências./ Saudade - um fogo enorme, num monte de gelo./ Saudade - cofrezinho sem chave."

" As pessoas não morrem, ficam encantadas."

" O universo é cheio de silêncios bulhentos."

" Ai, Patrão, que a vida é uma boiada,/ e a gente canta para ir tocando os bois..."

- João Guimarães Rosa -

ANJO

Tenho que te definir assim,
Pois na tua passagem pela vida
Iluminaste a quem te conheceu
Com teu sorriso encantador!
Lutaste pelos teus ideais,
Encheste de orgulho tua família,
Pela tua maneira linda de ser!
Tinhas tantos planos!
Te adiantaste no tempo,
Será que previas algo?
Menino tão amado,
Menino encantado,
Nosso anjo adorado!


Para o Alex , com todo o meu amor!

Cíntia Mombelli

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 28.2.13 e tem 1 comentarios

domingo, 24 de fevereiro de 2013
PRENDAM AS COMPOSITORAS

Poesia e sonoridade, composição de Carmen Corrêa:



Branquela (letra):

Cabe a mim caber no acabar da hora, sei
Que nosso tempo mora em teus segundos
Planos em que tento me firmar

Vai enfim, levanta que demorarei
Pra desatar minha garganta
Presa no desprezo deste teu olhar
- A manhã te leva sem pedir
Como prévia do que está por vir

Eu fico aqui, olhando teu vestir
E levar o que não é meu
Mal amanheceu já vai por outra mão

Leve daqui teu corpo livre e leve
Que não deve explicação
Que a visita que me faz
É uma a mais em teu anzol

Então não diga que eu devo esperar
Não se mendiga o segundo lugar
Não quero me espremer
No espaço que me deixas preencher

Vá com a tua morena
Vá que ela te trata bem
E um gingado como o dela
Nenhuma branquela tem

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 24.2.13 e tem 0 comentarios

sábado, 16 de fevereiro de 2013
NESSA ESTRADA E NO FIM


Curtam o novo single de Clarissa Mombelli:

Amigos! para quem quiser ouvir meu novo single! ;)
https://soundcloud.com/clamombelli/nessa-estrada-e-no-fim

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 16.2.13 e tem 2 comentarios


PROJETO PRENDAM AS COMPOSITORAS


Teve grande sucesso o show das três jovens cantoras e compositoras, Lara Rossato, Clarissa Mombelli e Carmem Corrêa, no La Estacion, em Porto Alegre.
Elas se conheceram através do projeto Escuta o Som do Compositor.

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 16.2.13 e tem 1 comentarios

sábado, 9 de fevereiro de 2013
A PEDRA


Estou esperando descer
A pedra do meio do caminho.
Eta! Pedra tranqueira!
Não queira ter uma pedra
Que não seja na pulseira
Ou pendurada num cordão,
Donde possa retirá-la
Sempre que queira.

Jaime Mombelli

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 9.2.13 e tem 2 comentarios

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013
PEDRA


Tem uma pedra no caminho
Entre a bexiga e o rim,
Causando uma dor sem fim.
Mas que pedrinha danada,
No canal está trancada
E não quer seguir caminho
Para o destino final.
Eta! Cálculo renal!

Jaime Mombelli.

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 7.2.13 e tem 0 comentarios

sábado, 2 de fevereiro de 2013
PRANA


Prana é energia viva em nós, a vida em nós.
Ela se manifesta nos sete corpos, segundo Osho, através da polaridade de entrada e saída.
No corpo físico, como respiração (inspiração e expiração).
No corpo etéreo, como influência (atrativo e repulsivo).
O corpo astral, como magnetismo (poder e fraqueza).
No corpo mental, como pensamento que entra e pensamento que sai.
No corpo espiritual, como vida que entra e vida que sai.
No corpo cósmico, como criação e destruição cósmica.
No corpo nirvânico, como ser absoluto e não-ser absoluto.
Para além do sétimo corpo só há incorporeidade, ou seja, não existe mais polaridade. Você se torna puro.
Mas há de escolher um entre os dois pólos do corpo nirvânico, como Buda, afirmando que “Nada permanece”, ou como Shankara, que diz: “Tudo permanece”.

Livro: meditação – a arte do êxtase.
Autor: Osho.
Editora: Cultrix – 11 ed.
Capítulo 17 – p. 191-204

Marcadores:


Postado por Jaime e Cintia as 2.2.13 e tem 1 comentarios

Posts mais recentes Posts mais antigos



 




 

Últimos Posts

Tempestade
Contradições
RICARDO CASTAÑON, FRENTE A FRENTE
Armamento
Jardim das Aflições
Galáxias
Batman
Luneta e microscópio
Ilusões
Continuidade

Arquivos

Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Dezembro 2015 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017

 

 


WM INTERNET